Pesquisar

Dia do Senhor 07

Sermão preparado pelo pastor Alexandrino Moura

Leitura: Gálatas 1.6-9; Efésios 4.1-6

Texto: Dia do Senhor 07

Dia do Senhor 07

 

P. 20. Todos os homens, então, tornam-se salvos por Cristo, assim como pereceram em Adão?

R. Não, somente aqueles que pela verdadeira fé são unidos a Cristo e aceitam todos os seus benefícios.

P. 21. O que é a verdadeira fé?

R. A verdadeira fé é o conhecimento e a certeza de que é verdade tudo o que Deus nos revelou em sua Palavra.

É também a plena confiança de que Deus concedeu, por pura graça, não só a outros, mas também a mim, a remissão dos pecados, a justiça eterna e a salvação, somente pelos méritos de Cristo.

O Espírito Santo opera esta fé em meu coração, por meio do Evangelho.

P. 22. Em que um cristão deve crer?

R. Em tudo o que nos é prometido no Evangelho. O Credo Apostólico, resumo de nossa universal e indubitável fé cristã, nos ensina isto.

P.23. O que dizem os artigos deste Credo?

R. I 1. Creio em Deus Pai, Todo-Poderoso, Criador do céu e da terra;

II 2. e em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor;

3. que foi concebido pelo Espírito Santo, nasceu da virgem Maria;

4.padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado, desceu ao inferno;*

5. no terceiro dia ressurgiu dos mortos;

6. subiu ao céu e esta sentado à direita de Deus Pai Todo-Poderoso;

7. donde há de vir a julgar os vivos e os mortos.

III 8. Creio no Espírito Santo;

9 na santa igreja universal de Cristo, a comunhão dos santos;

10. na remissão dos pecados;

11. na ressurreição da corpo

12. e na vida eterna.

 

Amada Igreja do Senhor Jesus Cristo.

O Dia do Senhor 7 fala sobre a verdadeira fé em Jesus Cristo. Esta é a fé que Hebreus 11.1-3 diz: “Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem. Pois, pela fé, os antigos obtiveram bom testemunho. Pela fé, entendemos que foi o universo formado pela palavra de Deus, de maneira que o visível veio a existir das coisas que não aparecem. Que também Hebreus 11.6 diz: “sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam”. É sobre a importância desta fé vida do pecador que o Catecismo de Heidelberg no Dia do Senhor 7 fala aqui. Mas, não qualquer fé e sim a verdadeira fé produzida pelo Espírito Santo no coração do pecador.

É exatamente sobre isso que eu irei pregar nesta manhã.

Eu vos proclamo a Palavra de Deus no seguinte tema:

Tema: A Igreja de Jesus Cristo confessa a importância da verdadeira fé.

1. A necessidade da fé na salvação

2. O Caráter da fé na revelação de Deus

3. A unidade da fé em Jesus Cristo

1. A necessidade da fé na salvação

Irmãos, a pergunta 20 do Dia do Senhor 7 fala de um assunto importantíssimo para a vida da Igreja cristã. Ele fala sobre a importância da fé na salvação do homem. Pois a pergunta é se todas as pessoas neste mundo são salvas por Jesus Cristo, pelo seu sacrifício na cruz, já que todos os homens morreram em Adão. E a resposta é: “Não, somente aqueles que pela verdadeira fé são unidos a Cristo e aceitam todos os seus benefícios”. Essa é uma resposta clara e bíblica contra um mundo que diz que todas as pessoas são salvas por meio das obras e que Jesus ama todos e por isso serão salvos; basta aceitar a Jesus.

Porém, a Escritura Sagrada afirma que todos os homens em Adão são amaldiçoados. Eles não merecem a maldição ao nascer, pelo contrário, eles já são amaldiçoados. E nem todos são salvos desta maldição por Jesus Cristo. Gálatas 3.10 diz: “Maldito todo aquele que não permanece em todas as coisas escritas no Livro da lei, para praticá-las”. O texto diz que todos são malditos porque não conseguem cumprir o que está Escrito no Livro da lei de Deus. Nem todos são salvos da maldição pela obra redentora de Cristo na cruz do Calvário. Nem todos recebem a bênção da salvação. Isso fica claro em Mateus 22.14: “Porque muitos são chamados, mas poucos, escolhidos”. Muitos são chamados a se arrependerem de seus pecados através da pregação do evangelho de Cristo, mas são poucos que foram escolhidos por Deus para a salvação. Isso não significa que Deus seja injusto na sua escolha. Ao contrário, Ele não tinha e nem tem nenhuma obrigação em salvar pecadores da perdição eterna em que eles se lançaram. Porém, Deus em sua infinita graça quis salvar pecadores da maldição eterna.

Como Paulo diz em Romanos 9.14-16 diz: “Que diremos, pois? Há injustiça da parte de Deus? De modo nenhum! Pois ele diz a Moisés: Terei misericórdia de quem me aprouver ter misericórdia e compadecer-me-ei de quem me aprouver ter compaixão. Assim, pois, não depende de quem quer ou de quem corre, mas de usar Deus a sua misericórdia”.

Por isso Mateus 7.14 diz: “Porque estreita é a porta, e apertado, o caminho que conduz para a vida, e são poucos os que acertam com ela”. Não são todos que entram pela porta estreita e são salvos. São poucos em comparação ao mundo em que vivemos, onde a grande maioria são deixados em seus pecados e estão apenas esperando a morte eterna.

Então, como podemos ser salvos? Por Jesus Cristo! Somente Ele pode nos salvar da condenação eterna. Como já falei: não são todos que são salvos. “Somente aqueles que pela verdadeira fé são unidos a Cristo e aceitam todos os seus benefícios”. Para o pecador ser salvo ele necessita de fé. Aqui está a necessidade da fé para a salvação do pecador. Marcos 16.16 diz: “Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado”. João 1.12-13 diz: “Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no seu nome; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus”. João 3.16 diz: “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. Os textos que acabei de citar mostram que aquele que crer, ou seja, tem fé em Cristo, é salvo por Jesus Cristo. A fé é o instrumento pelo qual Deus salva pecadores. Sem fé não há como ser salvo. A justiça de Cristo é dada ao pecador somente através da fé.

Vou dar um exemplo: A Confissão Belga no artigo 35 diz que a fé é a mão da alma. Todos nós sabemos como funcionam as mãos em nosso corpo. Imagine que você recebe uma caixa de chocolate. Você precisa agora estender a mão para aceitar o presente e dar este presente a você mesmo. Então, entendemos que as nossas mãos servem para aceitar os presentes que recebemos. Semelhantemente é a fé. A fé é a nossa mão que se estende para receber os presentes de Deus para a nossa vida. Deus usa a fé – que é a mão da alma – para dar a pecadores a justiça de Cristo Jesus.

A Confissão Belga coloca da seguinte forma no artigo 22: “Cremos que, para obtermos verdadeiro conhecimento desse grande mistério, o Espírito Santo acende, em nosso coração, verdadeira fé. Esta fé abraça Jesus Cristo com todos os seus méritos, apropria-se dEle e nada mais busca fora dEle. Pois das duas, uma: ou não se acha em Jesus Cristo tudo o que é necessário para nossa salvação, ou tudo se acha nEle, e, então, aquele que possui Jesus Cristo pela fé, tem a salvação completa”.

A fé é o instrumento que nos mantém em comunhão com Cristo. Por isso o Catecismo diz: “somente aqueles que pela verdadeira fé são unidos a Cristo e aceitam todos os seus benefícios”. Somente através da fé podemos aceitar todos os benefícios de Cristo Jesus. Não somos salvos pela fé, mas através da fé. Porque a fé é necessária para a salvação dos pecadores e sem fé não há como ser salvo da maldição do pecado. Porque a fé é a nossa mão espiritual através da qual recebemos o dom da salvação. Sem fé não aceitamos a salvação de Cristo, porque não temos a mão da alma – a fé. E sem essa mão da alma – a fé – não podemos ser salvos da morte eterna.

……

2. O Caráter da fé na revelação de Deus

Irmãos, o Catecismo pergunta: “O que é a verdadeira fé?”. Fé não é um sentimento, fé é uma ação. Podemos dizer que o caráter da fé é ativo. A fé, ela age quando recebe os dons de Deus. Ela agarra qualquer coisa e tudo o que Deus diz para mim. Mesmo que isso vá de encontro aos meus sentimentos do que é verdade, se faz ou não sentido para mim, ou se é agradável ou não nas minhas circunstâncias mais adversas. Pois a minha razão me diz para fazer o contrário. A fé aceita e segura qualquer coisa que Deus fala. O Catecismo de Heidelberg diz que “a verdadeira fé é o conhecimento e a certeza de que é verdade tudo o que Deus nos revelou em sua Palavra. É também a plena confiança de que Deus concedeu, por pura graça, não só a outros, mas também a mim, a remissão dos pecados, a justiça eterna e a salvação, somente pelos méritos de Cristo”.

Nesta resposta podemos ver que o caráter da fé é de praticar uma ação. Em primeiro lugar diz que a “fé é o conhecimento e a certeza de que é verdade tudo o que Deus nos revelou em sua Palavra”. A fé trabalha com o conhecimento da revelação de Deus. Ela olha para as promessas de Deus e tem a certeza de que são verdadeiras tudo o que Deus tem revelado em sua palavra. A fé verdadeira tem conhecimento das promessas de Deus e esse conhecimento produz a certeza de que é verdade o que temos na revelação de Deus. Ela não dúvida das promessas de Deus, mas ela crê na Sua revelação.

Em segundo lugar o Catecismo diz que a verdadeira fé “É também a plena confiança de que Deus concedeu, por pura graça, não só a outros, mas também a mim, a remissão dos pecados, a justiça eterna e a salvação, somente pelos méritos de Cristo”. A fé verdadeira é uma fé que não dúvida e nem tem qualquer dúvida nas promessas de Deus. Pelo contrário, ela confia que tudo o que Deus prometera em sua palavra é verdadeiro e aceita os dons de Deus. Aqui o Catecismo menciona três dons: perdão dos pecados, justiça eterna e salvação. Esses três dons somente podem ser recebidos através da fé que é a mão da alma. A fé confia nas promessas de Deus e que são suas essas promessas.

Em resumo: a fé é um conhecimento daquilo que Deus tem revelado em suas Escrituras Sagradas e esse conhecimento causa certeza de que é verdade tudo o que Ele falou e revelou em sua palavra. Esse conhecimento e certeza causam uma confiança de que Deus irá conceder todos os bens que Ele prometera em sua Palavra.

Essa é a fé verdadeira que habita em todos os crentes de todas as partes do mundo que professam a mesma fé em Cristo.

3. A unidade da fé em Jesus Cristo

Irmãos, o Catecismo pergunta: “Em que um cristão deve crer?”. Esta parece uma pergunta absurda em nossos dias. Porque as pessoas estão dizendo: ‘eu tenho fé e creio que Deus é assim e assim; cada igreja tem a sua maneira de pregar, ensinar e não cabe a ninguém julgar as outras igrejas e etc’. Quando ouvimos isso parece até piedoso e cristão, mas não tem nada de piedoso e de cristão. Essa é – talvez – a mentira mais poderosa de satanás contra o evangelho e a Igreja de Jesus Cristo. Com esse pensamento de que: ‘eu tenho fé e creio que Deus é assim e assim; cada igreja tem a sua maneira de pregar, ensinar e não cabe a ninguém julgar as outras igrejas e etc’, as pessoas estão dizendo que não importa o que Deus diz em sua palavra. Não estão nem aí para a revelação de Deus e cada um pode viver da sua maneira. Cada um pode ter uma fé diferente, mas Deus é o mesmo em qualquer lugar. O Deus que estar num terreiro de macumba é o mesmo que estar no centro espírita ou na igreja evangélica. É apenas uma maneira de crer em Deus da sua maneira. Por que vemos tantas ‘igrejas’ evangélicas neste mundo? Por que estão sempre discordando uma da outra?

A resposta é simples: porque elas não ensinam o verdadeiro evangelho de Deus. Elas não ensinam aquilo que Deus revelou em sua Palavra, mesmo que usem termos bíblicos. Elas não têm a mesma fé. O catecismo pergunta: “em que um cristão deve crer?”. E a resposta é: “Em tudo o que nos é prometido no Evangelho”. A fé verdadeira une todos os crentes verdadeiros em uma só voz para proclamar as verdades do evangelho de Cristo. Tudo o que Ele prometeu em sua palavra. Porém, quando essa fé verdadeira é desprezada… encontramos divisões e muitas denominações neste mundo.

Em Gálatas 1.6-9 fala sobre isso da seguinte forma: “Admira-me que estejais passando tão depressa daquele que vos chamou na graça de Cristo para outro evangelho, o qual não é outro, senão que há alguns que vos perturbam e querem perverter o evangelho de Cristo. Mas, ainda que nós ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue evangelho que vá além do que vos temos pregado, seja anátema. Assim, como já dissemos, e agora repito, se alguém vos prega evangelho que vá além daquele que recebestes, seja anátema”.

O apóstolo Paulo está admirado de que pessoas estão deixando o verdadeiro evangelho pelas invenções de homens ímpios que estão pregando um outro evangelho. Estes homens com este outro evangelho estão perturbando e querem perverter o evangelho de Cristo – diz o apóstolo Paulo. E é exatamente isso o que esse outro evangelho faz: ele perturba e perverte o evangelho de Cristo dizendo que Jesus Cristo não é suficiente para a salvação do pecador e que por isso seu evangelho não estar completo. Paulo diz: “Ainda que nós ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue evangelho que vá além do que vos temos pregado, seja anátema. Assim, como já dissemos, e agora repito, se alguém vos prega evangelho que vá além daquele que recebestes, seja anátema”. Ele deixa claro que mesmo que um dos apóstolos escolhidos por Cristo ou até mesmo um anjo vindo do céu e fale contrário ao que Cristo revelou em sua Palavra seja esse um anátema, ou seja, MALDITO!

As palavras do apóstolo Paulo são palavras fortes contra as chamadas ‘igrejas evangélicas’ de hoje ou qualquer outra seita ou pessoa que não ensina conforme aquilo que foi revelado pelo próprio Deus. Porque o falso ensino divide e não une.

Efésios 4 ensina que o evangelho de Cristo une pecadores. Porque os pecadores têm um vínculo no Espírito Santo. Ele diz que este vínculo deve ser mantido com esforço. Porque é o vínculo da paz. Paulo em Efésios 4.4-6 diz: “há somente um corpo e um Espírito, como também fostes chamados numa só esperança da vossa vocação; há um só Senhor, uma só fé, um só batismo; um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, age por meio de todos e está em todos”. É por isso que temos confissões em nossa igreja. Elas servem para manter essa unidade e afastar o falso ensino da Igreja. Por isso quando o catecismo pergunta em que o cristão deve crer, a resposta é: “Em tudo o que nos é prometido no Evangelho. O Credo Apostólico, resumo de nossa universal e indubitável fé cristã, nos ensina isto”. O Credo Apostólico é a confissão mais antiga das Igrejas de Cristo. Ele oferece um resumo da fé cristã. Essa fé cristã é universal ou católica porque ela é confessada por todos aqueles que têm a verdadeira fé no mundo inteiro. Ela é indubitável porque não existe dúvida alguma nas promessas de Deus.

Essa é a fé que habita nos verdadeiros crentes. Uma fé ativa na vida cristã e que aceita todos os benefícios que Jesus conquistou na cruz. Fé que confia sem duvidar das promessas de Deus revelada nas Sagradas Escrituras. Essa é a fé que nos une em Cristo Jesus. Que nos torna membros do corpo de Cristo Jesus. Esta é a fé que deve habitar em cada um de nós.

Amém.